Suaposta

sábado, 27 de outubro de 2007

Galope de apresentação

Descobri há 8 anos que adoro cavalos de corrida... Um pouco depois, que também curtia escrever sobre eles.

Porém, nos últimos meses, algo surpreendente aconteceu comigo. Parece que um raio me atingiu e me fez entender o que eles (cavalos) pensam durante as corridas...

Recordo que tudo começou no último 29 de setembro, no desenrolar do 6º páreo no Hipódromo da Gávea, o Clássico Primavera (L.-2000mA) - Taça Ernani Glower Bastos.

Durante o cânter, senti calafrios quando Starman passou com o Mota. Sim, eu percebi que o filho de Trempolino e Sweet Mind (Baligh) não estava bem e que iria "aprontar" durante a corrida. Ele (Starman) me avisou!!! "Hoje o bicho vai pegar!"

Limpei os olhos, cutuquei os ouvidos, mas tinha certeza que escutei a frase saindo pelo olhar do castanho. "hoje, o bicho vai pegar!"

Na verdade, errei leitores, pois Starman não aprontou apenas no percurso e sim, logo na largada.

Deixou o Alex Mota no chão e fez uma perseguição implacável ao "velhinho" Cerutti. Não sabia o porquê da falta de respeito com os mais velhos, que nós, "homo sapiens", aprendemos desde cedo a respeitar.

Porém o 4 anos Starman não quis saber de conversa e partiu para cima de Cerutti (que tem 7 anos e no turfe já é uma idade avançada para obter resultados expressivos).

Starman, mesmo que novo, mostrou que não precisava de jóquei para lhe conduzir durante uma corrida. Logo foi para junto dos paus, na cerca interna, onde vigiou cada passo dos ponteiros, que naquele momento seguia a ordem, Cerutti, Leporello, Istambul e Ovo Frito.

Logo que entrou na reta oposta, Starman fez questão de levar Cerutti para o externo da raia e ainda avisou: "isso é só o começo!" Fiquei sem fala com tamanha atitude, mas pensei que o cavalo fosse desistir de perseguir o velhinho, visto que ficou pela cerca externa durante toda a reta oposta.

Mesmo com o prejuízo, Cerutti esqueceu da ameaça e continuou na ponta, trazendo Leporello e Istambul.

Bastou aproximar-se da última curva e lá estava novamente Starman, pronto para mais um ataque. "Quero ficar entre os quatro, mas fiquem tranqüilos Leporello e Istambul, meu negócio é com Cerutti", disparou Starman para os outros competidores. Eu estava atônita com o que saia da mente do obstinado cavalo.

Quando faltava 300 metros para o disco final, Cerutt seguia firme, pronto para mais uma conquista, e Starman decidiu cumpriu com o prometido metros atrás. Assumindo a vanguarda de galope, ele abre e faz com que o jóquei de Cerutti (Bruno Reis), pare o cavalo.

Com sorriso nos "lábios" e um olhar de dever cumprido, Starman cruza o disco na frente, sendo que não leva taça alguma, pois estava sem jóquei (regra básica para se conquistar uma corrida, precisam cruzar jóquei e cavalo).

Devido a tantos prejuízos, Cerutti não consegue aparar a atropelada de Amor Surpresa, que fica com a vitória e com todos os méritos.

Ao voltar para o padoque, Starman me olha e diz. "Ele me provocou em nosso último encontro. Cheguei em 3º, no Clássico Delegações Turfísticas (L.-1900mA) e ele (Cerutti), logo atrás de mim, disse que havia sido sorte de principiante. Hoje, ele viu que tem de respeitar os mais novos", e saiu pomposo da raia, como um verdadeiro campeão, apesar do jogo sujo!

E eu, prezados leitores, fiquei estagnada e sem palavras. A única coisa que sei é que, desde esse dia, que venho escutando dezenas de reclamações e reinvindicações dos cavalos que atuam pelos prados do país e do mundo.

Depois, conto outras para vocês...