Suaposta

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Timeo fala tudo sobre o São Paulo 2011

O nosso entrevistado da semana não poderia ser outro que não o grande herói da semana máxima paulista, o cavalo Timeo. O vencedor do Grande Prêmio São Paulo 2011 (G1-2400mG) papeou abertamente com o CERCA MÓVEL e os leitores podem curtir com exclusividade total.

O filho de First American e In The Sand (Atticus), de criação do Haras São José da Serra, fez um pequeno balanço de sua campanha.

“Acredito que meus proprietários (Stud Yatasto) estão satisfeitos com meu desempenho nas raias. Competi em 15 carreiras e só fiquei fora do marcador em duas oportunidades. Além disso, das minhas cinco vitórias, três foram em Grupo 1. Desconfio que estou ‘escrevendo’ uma boa história na pista”, brincou, com sabedoria, Timeo.

O castanho de 4 anos atendeu a solicitação do CERCA MÓVEL de reviver momentos antes do Grande Prêmio São Paulo 2011.

“Eu tinha prometido a mim mesmo que iria apagar a má impressão deixada em maio de 2010, quando participei do GP São Paulo e ocupei a 10ª posição. As outras duas vezes que tinha corrido na raia de grama do Hipódromo de Cidade Jardim haviam sido em 2009, quando em setembro cheguei na 4ª posição no GP Ipiranga (G1-1600mG) e em novembro ocupei o 2° lugar no GP Derby Paulista (G1-2400mG).

As corridas faziam parte da Quádrupla Coroa paulista. Ou seja, era inadmissível meu desempenho em maio de 2010. Fiquei constrangido comigo mesmo, pois foi a minha pior colocação em toda a minha carreira de atleta. Consegui transformar a minha derrota em sucesso, pois me dediquei ainda mais aos treinamentos para retornar a São Paulo e reescrever tal história.”


Depois de tal resposta, quis saber se ele tinha certeza que venceria o GP São Paulo 2011.


“Agora, depois do páreo corrido, poderia inventar e dizer que sabia que venceria, mas é lógico que não sou prepotente para afirmar algo deste tipo. Eu sabia que estava muito bem preparado, tanto que venci uma das preparatórias cariocas para o desafio. Portanto, tinha condições de estar entre os cinco primeiros e disso eu não abriria mão.

Durante a corrida, percebi na grande curva que Idoneo estava fazendo um train falso e tratei de me aproximar. Jéca também pressentiu e correu ainda mais próximo, por isso ponteou na reta final com rapidez.

Eu queria disparar e o M. Mazini (jóquei) aguardou o momento certo. Quando exigiu, obedeci e fui com muita vontade de passar. Naquele momento sim, tive a certeza que venceria, pois alcancei Jéca com rapidez. Ele ainda tentou duelar, mas não tinha como, pois eu corria não apenas com minhas patas, mas também com meu coração e meu orgulho próprio”
, garantiu.

O CERCA MÓVEL abriu espaço para Timeo fazer algum comentário a mais sobre a corrida.

“Eu não tenho mais nada a falar da corrida em si, mas vou aproveitar este espaço virtual para agradecer a todos os responsáveis pela minha vitória. A começar pelo Dr. Joaquim Antunes, veterinário do Haras São José da Serra, que cuidou com carinho de mim desde os meus primeiros segundos de vida.

Aos titulares do Stud Yatasto pela torcida fiel. Ao treinador Dulcino Guignoni, que sempre confiou no meu potencial de corredor e soube exigir bem nos treinamentos. Ao meu veterinário do dia-a-dia, Dr. Flávio Carneiro. Ao jóquei M. Mazini, que soube me trazer no braço e não no chicote. E um agradecimento especial ao meu cavalariço Marinaldo.

Ele sabe que sou meio chatinho. Gosto de ficar mordendo e me estresso muito quando o resultado na raia não sai como eu esperava. Mesmo assim, Marinaldo sempre fica do meu lado, com paciência e tratando-me bem. É uma pessoa muito especial e geralmente fica fora da mídia, então quero usar o CERCA MÓVEL para lhe prestar esta homenagem”
, disse o cavalo.


Quando já dava por encerrada a nossa conversa, eis que Timeo ainda me solta um fato muito interessante.

“Quero só dar um aviso. Irei descansar um pouco e só devo retornar em julho, com vistas ao Grande Prêmio Brasil. Enquanto isso, acho bom os turfistas ficarem de olho no meu irmão materno Anakin (por Dancer Man e defensor do Stud Rio Dois Irmãos). O garoto corre muito e seu 2° lugar no Derby Brasileiro (G1-2400mG) não foi à toa.”

Sobre uma provável dobradinha dos filhos da égua In The Sand na prova máxima carioca, Timeo respondeu com descontração.

“Bem que a mamãe In The Sand merece. Quem sabe não conseguimos dar este presente para ela no Grande Prêmio Brasil 2011”, avaliou Timeo.

MUITO OBRIGADA

Não poderia deixar passar esta semana sem agradecer os mais de 20 mil acessos ao nosso CERCA MÓVEL. Sabemos que a facilidade da internet nos celulares tornaram ainda mais fácil a vida de todos, que acabam conseguindo um tempinho a mais para curtirem a leitura deste espaço.

Obrigada e também recebemos sugestões para os próximos entrevistados. Bastam enviar e-mail para cercamovel@gmail.com ou deixar mensagem nos comentários abaixo.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Amizade verdadeira em qualquer situação

Semana passada estava impossível conseguir um tempinho para escrever para vocês. Não por falta de assunto, pois conversei com diversos cavalos, éguas, potros e potrancas no Hipódromo de Cidade Jardim, por conta da semana máxima paulista.


Apesar de ter ouvido muita coisa interessante de vários personagens, entre eles os heróis e heroínas que venceram as principais provas de São Paulo, a coluna desta semana vem com uma exclusiva sobre o futuro de duas éguas que iniciam um novo período de suas vidas.

Tratam-se de Olympic Message e Olympic Confidence, que largaram às pistas para ingressar na reprodução. Ambas estão empolgadas, ansiosas e, ao mesmo tempo, assustadas pelo que está por vir, mas toparam conversar com o CERCA MÓVEL.

Elas nunca correram juntas, até porque a Confidence tem 4 anos, enquanto que a Message tem 3. Porém a amizade das defensoras do Haras Regina sempre foi intensa.

Uma lição de vida

Olympic Confidence, inclusive, pode não ter tido uma campanha tão vitoriosa quanto a de Olympic Message, mas sua história de vida é composta por vitórias.


“É gratificante poder relatar no CERCA MÓVEL um pouco da minha vida pessoal e profissional. Antes de estrear e de conhecer a Olympic Message, tive uma doença séria e quase morri. Precisei ficar 9 meses em recuperação no Haras São Jose do Bom Retiro. Porém consegui me recuperar e estrear. Os cuidados do veterinário Flávio Carneiro, aliado ao carinho diário do treinador Roberto Solanés, além da companhia da minha grande amiga Olympic Message, já no CT Verde e Preto, impediram de algum outro mal me abater.

Em janeiro de 2011, após alguns meses descansando no CT, para a minha grande surpresa, sai da raia de grama carioca contabilizando mais uma vitória na minha campanha. Isso não tem preço!”
, emociona-se a filha de Confidential Talk e Immense Dream (Roi Normand), que foi criada no Haras Di Cellius.

A égua chegou a participar de um Grupo 3 em março deste ano, mas chegou longe e voltou a atuar em páreos de turma, com direito a colocação e a mais uma conquista, no dia 15 de maio, ou seja, domingo passado, em São Paulo.

“Estava disposta a continuar correndo, mas por ser a única que consigo acalmar Olympic Message, ficou decidido que era melhor eu acompanhá-la nessa nova empreitada”, revelou Olympic Confidence, que em campanha correu nove vezes, garantindo quatro vitórias e o mesmo número de colocações.

Amigas verdadeiras

Olympic Message não desmentiu nenhuma palavra da sua amiga e ainda elogiou a atitude de Olympic Confidence.

“Tenho muita sorte em poder contar com uma amiga fiel e paciente como Olympic Confidence. Quando cheguei na cocheira de transferência em São Paulo, chateada pelo meu desempenho no Grande Prêmio São Paulo (G1), foi ela quem veio conversar comigo. E ainda me disse, 'se preocupa não, vou ganhar por você a minha carreira'. Realmente ela cumpriu a palavra e me encontrou cheia de sorriso.

Nossas cocheiras eram vizinhas no CT Verde e Preto, então sempre trocamos figurinhas. Ela nunca permitiu que eu ‘subisse’ no salto quando comecei a ganhar provas nobres. Era direta e dizia qual caminho eu deveria traçar. Não tem preço ter uma amiga assim”
, derrete-se a filha de Wild Event e Mère Catherine (Jules), nascida no Haras Santa Maria de Araras.

Com campanha invejável, pois correu 10 vezes e conseguiu cinco vitórias (em Grupo 1, 2 e 3), além de quatro colocações (três 2° lugares em Grupo 1), Olympic Message é uma potranca que qualquer proprietário gostaria de ter defendendo suas cores. Além de muito corredora, a campeã também não é muito de enrolar na hora de falar e topou dizer o que realmente ocorreu domingo passado, quando fechou a raia na principal prova do turfe paulista.

“Estava estreando em São Paulo e voltaria a encarar os machos, mas nada disso me deixou nervosa. Muito pelo contrário, estava confiante de que surpreenderia a todos os adversários, pois me sentia muito bem fisicamente.

Sendo que durante a corrida, quando tentei me aproximar dos ponteiros, machuquei a coroa do meu posterior esquerdo. Foi uma dor insuportável e não tive como aumentar o ritmo, infelizmente”
, lamenta Olympic Message, que aproveitou para deixar um recado aos seus responsáveis.

“Fiquei mal não apenas por mim, mas também por toda a equipe do Regina, que confiavam que eu faria uma corrida inesquecível. Quando senti o machucado, veio na mente todos os dias de trabalho e de dedicação, que foram jogados fora.

Sai da raia paulista completamente desolada e decepcionada. Mas bastou encontrar Olympic Confidence para as coisas mudarem. Ela ouviu todas as minhas lamentações e depois me falou umas verdades.

Disse que eu não tinha motivo algum de estar triste, pois já tinha vencido provas muito importantes e dado alegria suficiente para qualquer equipe. Inclusive, iria ganhar em São Paulo para termos direito a umas cenouras especiais antes de viajarmos. Ela conseguiu levantar o meu astral, sem dúvida alguma”
, disse.

Por conta do machucado, a campanha de Olympic Message foi encerrada precocemente, mas a potranca não reclama.

“Eu poderia sim ter aguardado mais uns 4 ou 5 meses para curar do posterior esquerdo, mas é como a Olympic Confidence falou, não tinha mais nada a provar à ninguém. Com pouco tempo de campanha, consegui feitos que poucos animais conseguem. Então saio da pista de cabeça erguida, com o sentimento de dever cumprido, que é o que mais importa”.

Futuras reprodutoras

Sobre o futuro, Olympic Confidence e Olympic Message estão apreensivas, mas felizes com o novo lar.

“Chegamos ontem (quinta-feira) aqui no Haras Santa Ana do Rio Grande, em Bagé. Fizemos ótima viagem e o frio está agradável. Não sei como será acordar amanhã e não ter a rotina de treinamento, mas irei me acostumar. Também tenho a minha amiga fiel (Olympic Confidence) ao meu lado nesta nova empreitada”, avaliou Olympic Message.

Já Olympic Confidence estava empolgada era com outra coisa.

“Não vejo a hora de conhecer o cavalo Manduro. Dizem que ele tem uma pegada daquelas. Entre julho e agosto devemos nos conhecer melhor. Depois, quem sabe, eu conto para o CERCA MÓVEL como foi o nosso encontro”, encerrou aos relinchos a égua.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Durban Thunder ensina a hora de ter um novo lar

Desde meados de abril que teve início a venda de produtos nascidos em 2009 com os leilões espalhados pelo país. O CERCA MÓVEL conversou com um dos produtos que marcou a história dos leilões brasileiros.


Esse bate papo é justamente para passar segurança aos novos potrinhos e potrinhas que terão de encontrar palco parecido pelos próximos dias.

Durban Thunder, cavalo de 10 anos, relembra o que sentiu na época que foi leiloado.

“Fazia parte do lote da Fazenda Mondesir e estava sendo leiloado no famoso leilão Top Classic. A arrumação do local, as tendas, as cocheiras diferenciadas, o clima de festa, pois estava na semana do Grande Prêmio São Paulo, tudo isso me deixou apreensivo.

Acabei entrando no clima, conhecendo outros potros que estavam nas cocheiras ao lado até que chegou o grande momento de subir no palco. Quando entrei, a música era alta, muita gente me olhava, o leiloeiro conversava com os clientes. Não tem como não se assustar!”
, conta Durban Thunder.

Perguntamos o que ele fez para continuar no palco do leilão.

“Pensei em fugir, mas aos poucos comecei a entender como funcionava aquilo. O som foi baixando, as pessoas me olhavam com carinho, depois faziam sinais e outras pessoas, que ficavam de costas para mim, gritavam muito alto. Era o sinal que o leiloeiro precisava para narrar o lance.

Então, percebi que ninguém queria o meu mal. Só estavam valorizando a minha forma física e também a minha filiação, afinal de contas sou filho de Royal Academy e Fausse Monnaie (Ghadeer)”
, sorri.

Pedimos para Durban Thunder descrever os minutos finais do seu leilão.

“Chegou uma hora que a cada lance, as pessoas aplaudiam e comemoravam. Só fui entender o que acontecia quando o leiloeiro bateu o martelo e anunciou o meu valor final, que correspondia ao recorde brasileiro desde então. Não tem como não ficar envaidecido por conta disso, mas assim que comecei a sair do palco, outra preocupação passou a surgir: o que seria de mim daquele momento em diante?”, indagou.

Era justamente onde o CERCA MÓVEL queria chegar e portanto deixamos que Durban Thunder continuasse descrevendo sua situação.

“Fiquei preocupado porque não voltaria mais para o sossego da Fazenda Mondesir. Não encontraria mais o colo materno, nem aquela vida sossegada de haras. Sendo que meu desespero foi chegando ao fim dias depois, quando enfim cheguei na cocheira do Stud Raça.

Meu treinador Mario Campos me deu muito carinho. Fui domado, comecei a treinar e a correr com mais determinação. E o resultado todo mundo sabe, foram três corridas e o mesmo número de vitórias, sendo a principal o GP J. Adhemar de Almeida Prado (G1-1600mG), a Taça de Prata, principal corrida para os potros de 2 anos”
, relembra com os olhos marejados.

Durban Thunder foi arrematado em 2003 por mais de R$ 500 mil. Atualmente, é garanhão e cobriu mais de 260 éguas nos últimos anos.

“Os filhos que tenho contato, tento acalmá-los nesta hora dos leilões. Explico que é normal sentir insegurança, mas faz parte da vida de um bom cavalo de corrida. Também ensino para confiar no futuro, pois pensamento positivo é sempre válido”, encerrou o garanhão, que logo na primeira geração estreada em 2010, já obteve filho vencedor clássico como Desejado Thunder, que estará tentando o quilômetro internacional paulista na próxima semana, no GP ABCPCC (G1-1000mG).


Então potrinhos e potrinhas, usem como exemplo a história do campeão Durban Thunder e sejam felizes nos novos lares que forem arrematados. Até a próxima!