Suaposta

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Adversárias não enxergam Alta Vista

Se existia alguma dúvida sobre o que Alta Vista conseguiria fazer na pista de grama, todas foram exterminadas pela potranca do Stud Galope, que encarou a relva paulista justamente encarando uma prova de Grupo 1: o GP João Cecílio Ferra (G1-1500mG), e permaneceu invicta em quatro apresentações.

O CERCA MÓVEL não esteve em São Paulo, mas falou com a filha de Amigoni e Bella Cy (Belo Colony), criada no Haras Cifra, por telefone.

“Obrigada pela ligação. Estou feliz em fazer parte do CERCA MÓVEL, muito comentado por colegas, mas que desde que estreei (janeiro de 2011), estava fora do ar. Agora viro notícia e chegarei em todos os locais do mundo através da internet”, brincou Alta Vista.

Alta Vista topou confessar se tinha ou não receio da pista de grama.

“Sinceridade, não tinha o menor receio! Todo mundo sabe que treino no Hipódromo do Tarumã e que aqui não tem pista de grama. Também as primeiras provas graduadas para minha geração, em São Paulo, eram realizadas na areia. Por isso que iniciei campanha na areia.

A pista de grama não tinha segredos para mim, pois a minha mãe (Bella Cy) não apenas correu, mas ganhou provas clássicas na grama, portanto eu tinha isso em meu sangue.

Para facilitar a minha vida, também foi permitido que eu pisasse na grama de Cidade Jardim dias antes do páreo, para fazer um reconhecimento. Naquele momento, sabia que tinha total condição de sair da raia com mais uma vitória, mesmo sendo em Grupo 1”
, garante.

Em ação no 5° páreo da reunião do último domingo, no Jockey Club de São Paulo, Alta Vista largou na frente e de lá não saiu, sofrendo ataque crucial de Glowing Spirit nos metros decisivos. A campeã relembrou a corrida.

“Não sou de preocupar-me com adversárias. Faço a minha corrida e procuro fazê-la de modo limpo. Larguei na frente e logo na grande curva, precisei manter um ritmo forte, pois Vienna Purse tentava aproximação. Quando alcancei a reta final, consegui me desvencilhar das oponentes e abrir certa folga.

Apenas nos metros decisivos percebi a aproximação de Glowing Spirit, mas não sou de desistir fácil e aumentei um pouco o ritmo, alertada pelo meu jóquei Silvio Generoso. Por isso, cruzei o disco mais uma vez na frente!”



Nas três primeiras saídas, Alta Vista ganhou sempre por mais de 3 corpos. No domingo, a diferença foi de cabeça, mas isso não desestabilizou a corredora do Stud Galope.

“Glowing Spirit é uma grande corredora e tinha como mérito já ter atuado e vencido na grama paulista, talvez estes sejam os motivos de sua aproximação tão rapidamente. Ganhar por vários corpos ou por mínima não importa, o mérito maior é cruzar na frente. Gosto de ser desafiada e aposto que o nosso reencontro será ainda mais emocionante”, sugeriu.

Para finalizar a nossa entrevista, Alta Vista aproveitou para fazer dois agradecimentos especiais.

“Primeiramente, quero agradecer o carinho e o cuidado de toda equipe do treinador Amilton Aquino Farias, em especial ao cavalariço José Paulo dos Santos e também ao veterinário Maurício Pontarollo, pois eles são responsáveis diretos por meu preparo e forma física, tratando-me com o carinho e o respeito que todo atleta puro-sangue inglês merece.

Também quero dedicar esta minha conquista em Grupo 1 para o meu pai Amigoni. Existia um papo de que seus filhos rendiam pouco na grama, que eram melhores na areia. Estou aqui para comprovar que meu pai tem talento de sobra para passar para seus descendentes. Tenho orgulho em ser sua filha”
, encerrou emocionada Alta Vista.



BLOG NOVO NA REDE

Pessoal, não poderia encerrar o CERCA MÓVEL desta semana sem comentar o site dos meus colegas Kelvin Turrin, Marco ‘Chalana’ e Guilherme Genzini, o www.turfistas.com

Os garotos gostam de carreiras e dão o toque jovial que falta na maior parte dos hipódromos nacionais. Portanto, convido aos leitores que passam por aqui, que visitem.

Sim, o endereço fará parte da nossa listagem à direita, para futuras visitas. Abraços e até a próxima sexta-feira.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Os altos e baixos da tarde do Derby

Amigos, no último domingo foram realizadas as duas últimas etapas da Tríplice Coroa de potrancas e produtos do Jockey Club Brasileiro. O Hipódromo da Gávea recebeu os melhores corredores de 3 anos na sua pista de grama, proporcionando um programa interessante dentro e fora da raia.

Antes do GP Zélia Gonzaga Peixoto de Castro (G1-2400mG), o páreo das potrancas, estive com a grande favorita Olympic Message. Ela tomava um banho de meia barriga e falou pouco comigo.

“Ansiedade é algo que todo atleta tem de sentir antes de um páreo. Estou tranquila, fiz um bom treinamento e acredito que não terei o mesmo problema que tive no Diana”, falou calmamente a defensora do Haras Regina.

Realizado o páreo, a vitória sorriu para Perichole, enquanto Olympic Message chegou na 2ª posição, após ambas proporcionarem um duelo nos metros decisivos digno de Tríplice Coroa.


A campeã falou aos prantos comigo, depois da corrida.

“Quero parabenizar Olympic Message pela corrida, pois engrandece ainda mais a minha vitória ter sido sobre ela, que é uma corredora diferenciada. Tudo o que eu queria era ter uma Coroa na minha campanha. Estou muito feliz com o resultado”, disse Perichole, que defende as cores do Stud Estrela Energia.

Sobre seu futuro, a potranca preferiu não comentar.

“Não quero pensar nisso agora. Quero comemorar a minha conquista, mas não nego que gostaria de um bom descanso”, deixou no ar Perichole.

Surpreendentemente, Olympic Message fez questão de conversar com a nossa reportagem depois de ser batida na raia.

“Perichole mereceu a vitória. Novamente tive problemas com a minha equipe, que continua sem definir qual a melhor maneira que eu tenho de correr. Precisei brigar nos metros decisivos contra a minha faixa, Olympic Immensity. Na reta oposta e grande curva, tive que me virar sozinha contra as inimigas. E cansei nos metros finais. Paciência! Sei que sou capaz de ir mais adiante, mas espero que a minha equipe ajude e não atrapalhe”, disparou Olympic Message.

Quis saber quais seriam seus planos futuros.

“Pretendia atuar fora do Brasil, mas não posso deixar o país com duas derrotas consecutivas, principalmente por respeito aos meus torcedores, que me escolheram favorita nas minhas últimas atuações. Quero descansar um pouco, pois a rotina de treinamento foi exaustiva. Quando retornar, que seja contra um time misto, para eu impor na raia tudo o que eu sou capaz”, finalizou a filha de Wild Event e Mère Catherine (Jules), nascida no Haras Santa Maria de Araras.

Seguindo na reunião carioca, o potro Desejado Thunder confirmou o favoritismo absoluto no GP ACPCCRJ (G3-1000mG) e garantiu a 10ª vitória da campanha, em 12 apresentações.


“Quero agradecer a toda equipe do Stud Alvarenga, começando pelo Dr. Ulisses Lignon Carneiro, que me viu nascer, passando pelos cuidados diários da veterinária Cristina Vieira e culminando pelo treinamento do Alemão (J. C. Sampaio). Também Dalto Duarte, que tem me deixado correr como gosto. A todos, meu muito obrigado!”, discursou o potro do Stud Alvarenga.

Quando quis a confirmação sobre seu próximo compromisso, o filho de Durban Thunder e Glorious Magee (Spend A Buck) não deixou o CERCA MÓVEL terminar a frase.

“É lógico que quero voltar a São Paulo. Não venci quando estive lá, mas estou mais maduro e pretendo dar a volta por cima na semana internacional paulista. Com certeza, tomarei os cuidados necessários para estar alinhado em maio no GP ABCPCC (G1-1000mG)”, encerrou Desejado Thunder.

A prova mais aguardada por todos era o GP Cruzeiro do Sul – Derby Brasileiro (G1-2400mG), que proporcionou um dos finais mais emocionantes da semana, com quatro competidores chegando agarrados.

O vencedor foi o argentino Cisne Branco, que mesmo se declarando brasileiro, arranha um portunhol.

“Yo no soy argentino. Me considero um verdadeiro brasileño. Portanto, puede arrancar de meu nombre a ese símbolo de la argentina”, ordenou o filho de Lode e Cirandinha (Ibero), de criação e propriedade do Haras Santa Maria de Araras.

Sobre a corrida, o alazão foi presunçoso com o resultado final.


“Yo corri na parte posterior (fundo) do lote, pero sabia que tinha las piernas para llegar aos ponteiros. Queria dar uma emoção extra a meus fãs, creo que consegui”, brincou Cisne Branco, que livrou focinho de vantagem ao chegar no espelho.

O campeão também agradeceu o apoio da equipe.

“No queria recordar la tragédia da sierra do Rio. Atrasou mi regresso e yo no pude ganhar la triple corona (tríplice coroa). Pero, parabéns la equipe Araras, dirigida por Roberto Morgado Neto. Merece aplauso. Sim, mi jinete (jóquei) Marcos Mazini também es impressionante. Confia em mim e no me deixa sair de la carrera em momento algum”, finalizou o argentino, ou melhor, brasileiro Cisne Branco, que segue invicto em quatro apresentações.

Espero que no próximo encontro com Cisne Branco, o potro já esteja mais adaptado ao nosso português, porque tem misturado mais a língua que eu.

Até a nossa próxima edição pessoal, pois a CERCA MÓVEL voltou com tudo e depende da companhia de vocês semanalmente.

Sim, sugestões de pautas e/ou patrocínios, escrevam para cercamovel@gmail.com

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Instalando a Cerca Móvel em 2011

Como estão vocês leitores? Completa hoje 105 dias que 2011 começou e só agora o blog CERCA MÓVEL dá a cara. Peço perdão aos que costumavam aparecer por aqui semanalmente, mas comecei a fazer uma pós-graduação que somada às minhas obrigações semanais na Turf Brasil, fizeram com que a minha agenda ficasse apertada para me dedicar ao nosso blog.

Não tenham dúvidas, os cavalos andaram reclamando bastante no meu ouvido, principalmente quando apareço no Jockey Club, pela falta de atualização. Muita coisa aconteceu desde a minha última postagem, em julho de 2010, até os dias atuais, sendo que iremos tratar daqui para frente, ok?

Sim, outro detalhe importante, a atualização do CERCA MÓVEL continuará sendo semanalmente, sendo que ao invés de quinta-feira, escolhemos as sextas para entrar no ar.

Nesta nova versão, presto homenagem a égua West Hope, que passa a ser nossa tela de entrada. Agora vamos ao trabalho!!!

O mais legal é que neste final de semana teremos muitas provas nobres acontecendo tanto no Rio de Janeiro, quanto no Paraná (o Derby) e em São Paulo (os últimos testes para a semana máxima paulista), portanto, notícias não irão faltar para a próxima edição.

Na semana anterior, conversei rapidamente com Another Xhow e Quadriball, 1° e 2° colocados no GP João Borges Filho (G2-2400mG), a última preparatória para os cariocas que pretendem atuar em maio no GP São Paulo 2011 (G1-2400mG).

“Sofri um pequeno prejuízo do Sal Grosso ao entrar na reta final, o que me fez abrir ainda mais para poder iniciar a minha atropelada, mas o importante é que no final levei a melhor. Em maio, espero voltar a São Paulo e tornar-me campeão da prova máxima”, avisa o campeão Another Xhow.


“Cansei nos metros decisivos e percebi que Another Xhow e Sal Grosso chegavam com muita ação. Sendo que não quis sucumbir e arrumei forças para retomar o galão, garantindo a dupla. Acredito que no Hipódromo de Cidade Jardim, com um pouco de chuva e uma grama mais pesada, conseguirei surpreender meus adversários”, ameaça Quadriball.

Sal Grosso, que tentará o bi em maio próximo, foi procurado pela reportagem, mas não quis se pronunciar.