Suaposta

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Pequeno recesso

Aos meus fiéis leitores, por conta de projetos e diversas viagens, não tenho tido tempo para atualizar o nosso CERCA MÓVEL...

Mas em breve voltaremos com força total...

Conto com vcs

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Trabalho em equipe resulta em vitória

Os corredores da Coudelaria Jéssica, sob a responsabilidade do treinador Leandro Guignoni desde que se transferiram para São Paulo, estão apreciando o novo ambiente paulista. Também estão se entendendo muito bem e trabalhando em equipe, como pudemos observar no último sábado, durante a realização do GP Presidente Silvio Álvares Penteado – Copa dos Criadores (G3-2000mG), quando Hold Me Tight e Hilaris atuaram na prova.


Não estive em São Paulo no dia, mas assisti tudo pela televisão, e vi o quanto elas atuaram em parceria.


“Calminha ai Queen Shu, vamos respeitar as mais velhas. Esse train de corrida quem faz sou eu”, saiu gritando Hilaris, ao abrir os boxes e assumindo a primeira posição poucos metros depois. Queen Shu, do Haras São Pedro do Alto, nem reclamou, ficou na dela, atuando junto aos paus e mantendo seu próprio ritmo.


Hold Me Tight corria mais atrás, tendo o cuidado de não sofrer nenhum grande percalço. “Desculpe; calma; licença”, eram as palavras proferidas pela potranca enquanto atuava misturada com as demais competidoras, mais atrás, revezando entre as 5ª e 7ª posições.


Hilaris continuava ponteando com José Aparecido sobre o dorso, mas não descuidava do ritmo, pois sabia que tinha Queen Shu sempre por perto.


Quando abordaram a reta final, Hilaris deu um primeiro relincho, que não consegui entender, e continuou ponteando. Mas olhando atentamente para a televisão, pude conferir que quase automaticamente Hold Me Tight saia de junto dos paus e buscava uma linha mais aberta e com espaço vazio pela frente. Ali entendi que o relincho de Hilaris nada mais era que um sinal para a companheira de cocheira começar a avançar.


Hilaris ainda se manteve na frente até os últimos 200 metros. Quando começou a esmorecer, Hold me Tight emparelhou e falou. “Agora é comigo minha amiga, obrigada pela ajuda”, e como uma flecha, foi logo buscar a vitória.


Queen Shu não entendeu muita coisa, mas nem teve tempo de procurar entender, pois Donna Greta, que nada tinha a ver com a situação, surgiu do nada e ameaçava a sua 2ª posição.


Voltando a se concentrar, Queen Shu conseguiu formar a dupla. Donna Greta foi a 3ª e Hilaris a 4ª colocada.


Hold Me Tight ganhou a corrida e aguardou a chegada de Hilaris para sairem juntas da raia. Nesse momento a televisão cortou a cena para o Rio de Janeiro e precisei apelar para o velho e bom telefone, pois precisava falar com as ‘meninas do Jéssica’.


Após algumas tentativas, enfim Hilaris me atendeu, com a voz ofegante, mas eufórica. “Olá, é sempre um prazer falar com o CERCA MÓVEL.Dessa vez não fui a vencedora, mas sei que tive papel fundamental em mais uma conquista da Coudelaria Jéssica. Saiba que tanto eu quanto Hold Me Tight apenas seguimos o exemplo de nossas donas (Jéssica e Victória), provando que a união faz a força”, falou, mas eu não entendi nada sobre a comparação, foi quando Hold Me Tight me explicou.


“Você tem se preocupado tanto com o universo dos cavalos que tem esquecido dos humanos! Jéssica e Victoria Dannemann estão juntas num projeto teatral de sucesso, ai no Rio de Janeiro. A mais velha (Jéssica) atua na peça, enquanto a mais nova (Victoria), tem a responsabilidade de fazer com que tudo dê certo.


Foi mais ou menos o que eu e a Hilaris fizemos. A mais velha (Hilaris), atuou na frente durante a corrida, chamando a atenção para ela e no momento crucial, deu a deixa (o relincho) para que eu pudesse concluir a nossa estratégia de corrida. No final, tudo deu certo”, encerrou Hold Me Tight, que é uma filha de Roi Normand e Indian Blossom (Fred Astaire), criada pelo Haras Santa Ana do Rio Grande.


Após as declarações de Hilaris e Hold Me Tight tratei de descobrir o que rolava nos teatros cariocas, então me dei conta do musical “Por uma Noite – Um sonho nos bastidores das Broadway”, onde Jéssica Dannemann é uma das atrizes e Victória Dannemann assina a produção geral. Assisti no Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, na noite de quarta-feira (ontem) e recomendo aos leitores do CERCA MÓVEL, que estiverem pelo Rio de Janeiro e gostem de musicais, que dêem uma passadinha por lá. Vale a pena!


Sim, não posso encerrar esse blog sem lembrar que sábado temos um compromisso importante: Derby Paulista 2010 (G1-2400mG). O campo promete muitas emoções e eu não fico fora dessa.